Cod. MES005 - RESUMO


Título: MÍDIA E IDEOLOGIA EM DISCURSOS POLÍTICOS PARTIDÁRIOS

Autora/Instituição:

CIBELE BRANDÃO (UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA – UNB)

Resumo:

Antes de tudo, convém situar o sentido de ideologia que irá fundamentar minha discussão. Ainda que amparada teoricamente nas concepções de ideologia de Althusser ([1970] 1974), Thompson ([1990] 1995) e Gramsci (1999), minha compreensão de ideologia não se limita à reflexão marxista do fenômeno, cuja tradição vincula a ideologia à dominação de classe e à existência do Estado. Não estou preocupada em incorporar com exatidão o pensamento desses autores, mas vou valer-me, principalmente, da compreensão da ideologia como discurso de poder, de acordo com Thompson. De Althusser, ressalto a importância da ideologia na luta política, cuja função é direcionar os indivíduos, pois de acordo com sua formulação: “a ideologia interpela os indivíduos enquanto sujeitos”. Porém, levo em conta também o fato de o autor considerar que o sujeito revestido da sua condição como tal pode contrapor-se à ideologia e gerar luta política. Ao incluir as ideias de Gramsci, estou considerando que nos textos analisados a mídia se transforma em um campo de batalhas ideológicas pela conquista da hegemonia de uma posição político-partidária. Assim, a ideologia será pensada na sua materialização, ou seja, como um conjunto de representações cuja função é assegurar a reprodução de ideias, crenças, valores e posições políticas. O objetivo deste trabalho é revelar as maneiras pelas quais marcas ideológicas se fazem presentes em textos jornalísticos (colunas, blogs) veiculados pela mídia brasileira. Para tanto, pretendo analisar estratégias discursivas que visam convencer o leitor a aceitar determinado ponto de vista político partidário, focalizando de modo especial as estratégias de impolidez que funcionam como argumentos para desautorizar pontos de vista contrários. O método da Análise de Discurso Textualmente Orientada (Adto) é o adotado, centrando-se a análise nas representações ideológicas políticas, com base nos autores já referidos, e na teoria da Impolidez (Culpeper, 1996, 2011).

Palavras-chave: Ideologia; Discurso político partidário; Mídia brasileira; Estratégias de impolidez.