Cod. Conf001 - RESUMO


Título: ATENUAÇÃO E INTENSIFICAÇÃO. A CONSTRUÇÃO DA CUMPLICIDADE E DA CORTESIA NA ERA DIGITAL

Autor/Instituição:
ISABEL MARIA L. DE R. SEARA (UNIV. ABERTA – LISBOA – PORTUGAL) 

Resumo: Numa perspetiva pragmático-discursiva, constatamos que o princípio da delicadeza (politeness)  é frequentemente determinante na atenuação da força ilocutória de determinados atos do discurso e que o uso de atenuadores (Brown& Levinson 1987) permitem suavizar os FTAs, tornando-os menos ameaçadores para as faces dos interlocutores, configurando, assim, um processo de atenuação. Partiremos, assim, da definição de atenuação de BRIZ que sublinha que a atenuação é um mecanismo estratégico de distanciamento linguístico da mensagem e, por sua vez, de aproximação do outro: «En efecto, la atenuación es un mecanismo estratégico de distanciamiento lingüístico del mensage y a la vez de acercamiento social (lingüisticamente, atenuación significa distancia del mensaje; socialmente, atenuación significa acercamiento al outro». (BRIZ 2014: 86). De acordo com a classificação de Kerbrat-Oreccioni (1992: 200-233), os atenuadores linguísticos podem ser procedimentos substitutivos de figuração e procedimentos aditivos de figuração, sendo estes os que acompanham a formulação direta e que podem ser expressos através de enunciados de prefiguração, fórmulas reparadoras, desarmadores, minimização, adulação e modalização. Nesta conferência vamos deter-nos nos procedimentos aditivos de figuração, nomeadamente os que ocorrem em enunciados de prefiguração que acompanham atos de pedido, com fórmulas reparadoras (desculpas e justificações) e, ainda, o uso de formas nominais elogiosas que têm como funções a prevenção ou a reparação, questionando de que forma estão ou não ao serviço da cortesia.

Palavras-chave: Atenuação, cumplicidade, cortesia, era digital.